5 de agosto de 2013

Mais dívidas do EC Bahia. Clube não pagou por empéstimo de jogador.

Uma hora a casa vai cair!!! Anotem!!

Mar de dívidas: Bahia também não pagou por empréstimo de jogador
O Bahia ainda não pagou o empréstimo do zagueiro Alysson, ex-Feirense, jogador que defendeu as cores do Esquadrão na Série A do ano passado e depois não renovou contrato. Um dos motivos da saída é claro: O tricolor não pagou o empréstimo no valor de apenas R$ 30 mil. No início do ano, representantes do Feirense foram ao Fazendão e renegociaram o valor em três parcelas de R$ 10 mil para janeiro, fevereiro e março. Marcelo Guimarães Filho não pagou uma.

Desde que o interventor Carlos Rátis assumiu o clube respaldado pela justiça, informações sobre a saúde financeira do clube vêm sendo constantemente anunciadas na imprensa. No final de agosto, Rátis precisou de uma antecipação da Arena Fonte Nova para poder pagar funcionários do clube que ganham até R$ 5 mil. À época, a base tinha três meses de salários atrasados, segundo o interventor. Hoje os jogadores do elenco profissional estão com o mes de junho e julho atrasados.

Há duas semanas, segundo Jairo Costa Júnior, do jornal Correio*, mais de R$ 2 milhões foram tirados de uma das contas do Bahia no dia 9 de julho, quando aconteceu a intervenção no Bahia. O destino do dinheiro, segundo a coluna Satélite assinada pelo jornalista, foi a conta de Carlos Leite, procurador de jogadores como Titi, Lomba e Omar, que tem relações próximas com Marcelo Guimarães Filho, presidente destituído.

No dia seguinte, MGF entrou em contato com o colunista e se disse "chocado e extremamente estarrecido" com o teor da notícia. Ele reconheceu apenas a existência de uma transação financeira no valor de R$ 650 mil com o empresário Carlos Leite. Esse dinheiro seria referênte a um empréstimo feito por Leite ao Bahia, "de forma absolutamente legal". Marcelo disse também que foram feitos pequenos saques para fazer pagamento corriqueiros.

Vale lembrar também que o site oficial do Bahia passou 48h fora do ar no final de agosto porque não pagou a empresa responsável pela manutenção do site, a Navegart. De acordo com Alex Régis, dono da empresa, o último pagamento havia sido feito referente ao mês de janeiro. Além do site, os telefones da sede administrativa do clube, localizada no Edifício Mundo Plaza, também foram cortados por falta de pagamento no mesmo período. Em entrevista recente, Rátis disse que a situação financeira do Bahia "era muito delicada".

Fonte: iBahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

2leep.com